16 dezembro 2015


Hey revolucionários! Dentro de poucas horas teremos a tão aguardada estreia de Star Wars - O Despertar da Força. Por falar nisso, já fez o nosso quiz? Ainda não? Está esperando o quê? Clique agora e teste os seus conhecimentos sobre a saga!

A expectativa é grande, afinal a trama vai por fim ao hiatos de 10 (dez) anos desde "A Vingança de Seth", além de se passar 30 (trinta) anos após os acontecimentos de “O Retorno de Jedi” (1983) e trará os atores da trilogia original. E como faz muito tempo desde o episódio anterior, hoje eu venho esclarecer um pouco as eventuais dúvidas e deixá-los por dentro do que vem por aí. Bom, no sexto capítulo da franquia, “Star Wars: Episódio VI – O Retorno de Jedi”, Luke Skywalker consegue fazer com que Darth Vader encontre o seu lado bom e elimine o Imperador Palpatine na segunda Estrela da Morte. Trinta anos se passam e Luke volta a unir forças com Princesa Leia, Han Solo, Chewbacca e os robôs C-3PO e R2-D2 para uma nova aventura espacial na disputa pela Força.

Os novos heróis encontram um sabre de luz perdido no espaço e decidem devolver a relíquia ao seu dono – que mais tarde descobrem se tratar de Luke. Eles partem numa jornada, ao lado de Han Solo e Chewbacca, para reencontrar Luke. O resto você confere nos principais cinemas do país a partir de amanhã (quinta-feira, 17). A expectativa é grande não somente pelo tempo de espera dos fãs da franquia, mas também por ser o primeiro episódio sobre a tutela da Disney, que adquiriu os direitos sobre a LucasFilm em 2012. Sem contar que temos na direção, ninguém menos que J. J. Abrams responsável pelo recente sucesso de Star Trek.

Continuam ansiosos? Então revejam o trailer, enquanto eu conto as horas para invadir a sala do cinema e ver a força despertar. 



Que a força esteja com vocês!

14 dezembro 2015


Hey revolucionários! A contagem regressiva já começou, dentro de 3 dias teremos a estreia do filme mais esperado do ano, Star Wars - O Despertar da Força (Star Wars - The Force Awakens), a trama se passa 30 anos depois do fim de O Retorno de Jedi. Mas se assim como eu, você não se contém de ansiedade para o despertar da força, poderá acompanhar a transmissão ao vivo do tapete vermelho da pré-estreia mundial, que será hoje às 23:30 através do link youtube.com/starwarsbra. E aproveitando esse clima de estreia, o #RN traz para vocês um super quiz/teste para testar os seus conhecimentos e ver se estão mesmo preparados para o despertar da força. Então preparem o seu sabre de luz e deixem a força os guiar pelo melhor caminho desse quiz.


11 dezembro 2015


"O barco parte. O porto fica."

Inicio o texto de hoje com essa pequena reflexão. Alguns de nós sentem-se orgulhosos por ser o porto seguro de alguém, afinal é tão prazeroso saber que você é importante, necessário e talvez único na vida de outro além de você, não é mesmo? Eu acreditei nisso durante 19 anos, mas depois dos 20 algo mudou em mim. Percebi que ao mesmo tempo em que é prazeroso vivenciar situações emocionais demasiadamente fortes, é também extremamente desgastante.

Então, é preciso desligar-se.

Desligar-se de tudo que te faz mal, te limita, te impede de caminhar, mesmo que seja a pessoa que você ama e nesse caso o desligamento não é algo ruim, pelo contrário, é uma atitude de coragem e requer maturidade para desobrigar-se mentalmente, emocionalmente e às vezes fisicamente de um envolvimento não saudável e que esteja fazendo mal a ambos. Desligar-se de uma pessoa não é abandonar, deixar de se importar ou amar, apenas se desprender da agonia daquele envolvimento e das limitações que ele provoca, sabe? Parece algo muito difícil ou mesmo impossível, confesso, mas quando se pratica, vai perceber que é a coisa mais fácil do mundo ou mesmo se questionar: Por que eu não fiz isso antes?

Depois dos 20 eu percebi que de nada adianta olhar para o passado e remoer momentos, tampouco me arrepender de coisas que fiz ou deixei de fazer. Assumir os erros é necessário, mas não é o bastante; O tempo não pára enquanto eu lamento por um fracasso, um erro cometido ou aquele sonho não realizado. A vida continua acontecendo e eu preciso me resolver comigo mesmo para continuar a viver. Afinal as quedas podem até ser inevitáveis, mas a recusa em se levantar não, então por mais que eu caia, a certeza é sempre a mesma: eu posso me levantar e fazer ainda melhor. 

E bem, essa fase de depois dos 20 tem sido a melhor da minha vida, é tão bom sentir-se bem consigo mesmo, sentir-se vivo sem qualquer remorso, sem qualquer obrigação, sem nenhuma responsabilidade a não ser sobre si mesmo. Até mudei a cor do meu cabelo, o meu jeito de me vestir e há muitos novos projetos em andamento prontos para serem lançados. Porque agora já não é importante o que pensam ou vão pensar de mim, mas que fique claro: não há rancor, não há amargura, eu sigo amando e emanando amor, mas livre, solto e feliz, sem o prendimento da culpa. 

A idade mudou, eu cresci.

30 novembro 2015

Hey revolucionários! Com o lema "Tudo novo, de novo" o #RN está definitivamente de volta, mas isso é assunto para outra hora, o motivo da postagem de hoje é outro.

Faltam menos de 1 mês para uma das datas mais aguardadas e comemoradas do ano, o Natal. Pensando nisso, o desafio de hoje no blog é na verdade um convite à solidariedade. Afinal, natal é esse tempo de rever as nossas atenções, de interiorizar-se, se exteriorizar e compartilhar o amor.

Então vamos praticar? Pois bem, há mais de 20 anos o Correios promove a campanha Papai Noel dos Correios, que é uma das maiores ações sociais natalinas do Brasil e tem por objetivo atender, dentro do que for possível, aos pedidos de presentes de natal das crianças carentes que inocentemente escrevem ao Papai Noel. Além de estimular a redação de cartas manuscritas pelas crianças, a campanha incentiva a solidariedade dos empregados e da sociedade em geral. 

Se interessou? Então se liga nesse vídeo que vai te emocionar:


26 outubro 2015



Hoje é mais um daqueles dias estranhos para mim, não me sinto mal, mas também não me sinto bem, meio que apenas sinto. Talvez pelo valor e importância que a data de hoje me remete. Enfim, já faz algum tempo que eu venho relendo os meus textos antigos e percebi que algumas coisas mudaram, na verdade o meu modo de ver/enxergar mudou em alguns pontos. Esse ano eu postei muito sobre sentimentos, relacionamentos e amor. Textos bem bonitos, sinceros e alguns emocionantes, que refletiam o meu estado de espírito naquele momento, foram meio que desabafos ou simplesmente minha vontade de compartilhar  o que eu havia aprendido ou estava sentindo. Vocês sabem que eu gosto muito desse espaço mais pessoal e introspectivo dentro da blogosfera e fico muito feliz com os comentários e retorno de vocês quanto aos meus "desabafos".

Pois bem, foi logo no começo do ano que eu demonstrei abertamente essa minha ingenuidade por acreditar num amor verdadeiro, o "juntos até o envelhecer". Eu estava descobrindo algo novo, foi uma sensação diferente de qualquer outra coisa que já havia sentindo. Foi estranho, deu muito medo, mas era muito, muito bom. Um pouco contraditório, né? Mas creio que vocês já devem ter percebido que a minha vida inteira parece uma contradição. Daí em diante eu mergulhei num abismo de confusão, não no sentido ruim da palavra, mas porque tudo era muito confuso pra mim. É como se eu tivesse saído da minha zona de conforto sem nenhuma munição, nada mais que eu mesmo e um sentimento.

Cometi vários erros, confesso. Entre eles, a exposição, me expus demais numa busca por respostas, sabe? Eu queria muito entender, compreender e até mesmo justificar isso que eu estava sentindo. Consultei vários amigos e por vezes me tornei dependente de seus conselhos e opinião antes de tomar qualquer decisão. Mas na verdade, eles ajudaram a confirmar minha teimosia, a seguir sempre os meus princípios, a nunca desistir do que eu acredito, mesmo quando a causa parece perdida, mesmo quando ninguém mais tem esperanças. Eu continuo insistindo com uma pequena vela, que não pode iluminar muito, eu sei, mas com uma chama que pode ajudar a acender uma vela apagada ou que esteja prestes a apagar. 

Mas o meu maior erro está na minha própria contradição. Durante todo esse tempo eu escrevi que o amor ou nossos sentimentos em geral não podem ser definidos, porque não havia nenhum manual de instruções ou forma correta para senti-los. Apesar disso, percebi que eu me preocupava sim em entender, em definir e até mesmo comparar. Por um momento foi como se eu quisesse encaixar todo o externo a essa minha definição e experiência de amor, enquanto nos meus textos eu dizia o contrário. E hoje, fazendo toda uma reflexão e retrospectiva, eu só tenho a dizer que fui um pouco falho, escrevi coisas lindas e não me atentei em praticá-las, ao menos não como deveria.

Então se eu pudesse reescrever todos esses textos, eu apenas diria que é perda de tempo tentar definir, entender e compreender o amor ou qualquer outro sentimento. Todos temos nossas formas e jeitos de amar e demonstrar amor. Ninguém melhor do que nós mesmos para saber como e o que nos faz felizes. Não existe receita, não existe manual de instruções. O que existem são as experiências de quem vive ou já viveu e o sonho/vontade/desejo daqueles que ainda querem viver. Essas experiências podem ser compartilhadas, mas apenas isso, não podem ser revividas, ao menos não como na história de quem compartilhou, mas como a sua, de acordo com a sua realidade, obstáculos, limitações e superação. É perda de tempo prender-se ao passado para pensar no futuro, pois o futuro nada mais é do que a soma de vários "hoje". Então vale a reflexão e desafio:

O que seria possível mudar hoje para consertar o seu ontem e fazer valer a pena o amanhã?

Não somente em relação aos seus sentimentos ou mesmo relacionamentos, mas no dia a dia, no seu trabalho, escola, universidade, família, enfim há sempre uma nova oportunidade de fazer diferente, fazer melhor e isso só depende de nós. E se você sentiu curiosidade para conhecer os textos de que falei, clique aqui e prepare-se para navegar nas minhas emoções. 

01 outubro 2015

Hey revolucionários! O mês mais maravilhoso do ano começou, convido-os a aproveitar esse tempo para retomar as esperanças e retomar o equilíbrio que tanto precisamos para o dia a dia, seja na vida pessoal ou profissional, pois nada mais propício do que o mês em que o astro-rei (sol) se encontra em Libra.


Mas não é este o assunto de hoje, porque quinta-feira é dia de Mitologia aqui no Revolução Nerd. Como faz muito tempo que eu não posto, para entender o post de hoje, eu recomendo que leiam primeiro este, para entenderem a continuação.

Leu? Então vamos lá...


Anteriormente vimos que a tirania de Cronos estava incomodando a todos e o Caos ameaçava se alastrar novamente sobre Gaia (a Terra). Dando continuidade, lembram que Zeus foi escondido na ilha de Creta para poder se fortalecer? Pois bem ele voltou e mais forte do que nunca, no entanto não fazia ideia do que fazer, por isso procura Métis, sua prima e filha dos titãs Oceano e Tétis. Muita esperta, já que é a deusa do bom conselho, Métis prepara uma poção especial para ser entregue a Cronos.

Zeus reencontra Reia e esta, explica melhor o plano, onde Zeus deverá se passar por copeiro e entregar a bebida ao pai. Assim que Cronos bebe toda a poção, sente fortes dores de barriga e vomita todos os outros 5 filhos, sendo eles: Héstia, Démeter, Hera, Hades (meu favorito) e Poseidon. A partir daí, a guerra está declarada. Zeus e seus irmãos marcham rumo ao Monte Olimpo (daí o nome deuses olímpicos), enquanto os titãs vão em direção ao Monte Ótris. Só por curiosidade, a Batalha dos Titãs foi travada na Tessália, centro da Grécia e estima-se que tenha durado uns 10 mil anos, segundo o calendário dos deuses é claro.

Cronos estava enfraquecido pelos efeitos da poção, sendo assim a liderança dos titãs passa para Atlas. A batalha entre deuses e titãs foi muito equilibrada, afinal são seres imortais. Foi aí que Gaia interviu a favor dos deuses olímpicos, lembrando-os dos titânicos desprezados, os hecatônquiros ou centímanos, seres mortais e impulsionados pelo desejo e matar! Zeus, Hades e Poseidon vencem o dragão Campe e libertam os hecatônquiros, que agradecidos presenteiam os três com mais poderes: A Zeus o raio mestre, que o faz dominar os raios; a Poseidon o tridente; e a Hades, o elmo da invisibilidade. Assim, eles se tornam os Três Grandes Deuses!

Esperto, Hades usa seu elmo, invade o Monte Ótris e rouba as armas de todos os titãs, que ficam encurralados por Zeus e Poseidon. A Batalha dos Titãs chegava ao fim, com os deus olímpicos vitoriosos. No entanto o Caos estava de volta, pois Urano despencou do céu. Zeus então, decide unir o "útil ao agradável" e como vingança condena Atlas a carregar o mundo nas costas e garantir de uma vez por todas que Urano não caia mais sobre Gaia, separando o céu e a Terra.

Com tudo novamente no lugar, os deuses se separam dos mortais, deixando-os na Terra. Zeus torna-se o responsável pelo céu; Poseidon, os mares; e Hades fica com o Submundo ou Mundo Inferior, além da guarda do Tártaro, onde os titãs estão aprisionados. Bom, essa é a minha parte favorita da Mitologia Grega, espero que estejam gostando, pois na próxima semana, veremos um pouco mais sobre os 12 deuses do Olimpo.

24 agosto 2015


Hey revolucionários! Vocês já sabem que conciliar o blog com os meus estudos e trabalho não tem sido uma tarefa fácil, né? E por mais que às vezes eu tenha um tempo livre, eu gosto mesmo é de preparar minhas postagens em casa, num ambiente agradável e confortável para que eu possa ter os meus "surtos" criativos sem me preocupar com os olhares e reação das pessoas ao meu redor. Porque eu falo sozinho, faço pausa para comer, dançar, cantar, gritar, enfim, um ritual que foge da normalidade.


Em julho eu postei o desafio "SEJA O AUTOR DA SUA VIDA", um convite para que não deixemos o amanhã para fazer o que você pode ser ou fazer hoje, porque as coisas boas acontecem para quem espera. As MELHORES coisas acontecem para quem levanta e faz. Bom, nesse mesmo dia, eu aproveitei para fazer menção à algumas novidades que teriam no blog, mas deste então não toquei mais no assunto e os projetos seguem no papel. Eu achei melhor contar com o apoio e opinião de vocês antes dessas mudanças no #RN, por isso preparei uma pesquisa bem curta e rápida, peço que respondam com muita sinceridade, pois as respostas serão muito bem vindas e de grande valia. Abraços!

18 agosto 2015

Hey, revolucionários! Ontem eu fiz um desafio, que nada mais era um convite a ler ou reler o livro "O Pequeno Príncipe" e em seguida compartilhar, nos comentários, quais as emoções, sensações e recordações que a leitura vos provoca. Para aproveitar esse sentimento de ansiedade, já que a estreia oficial do novo filme já é dia 20/8. Mas não basta apenas desafiar, agora eu resolvi testá-los e com a ajuda do meu amorzinho, preparamos um teste de conhecimentos sobre o livro. Para facilitar e até mesmo atiçar a memória, colocamos em ordem cronológica. Então: Desafio feito. Teste lançado:

17 agosto 2015



Hey revolucionários!

Eu não pretendia postar hoje, queria fazer algo mais elaborado, afinal não é tão fácil falar sobre um dos livros que marcaram a minha vida. Eu sei que isso é bem clichê, a maioria das pessoas dizem o mesmo em relação a "O Pequeno Príncipe", mas o que esperar do 3º livro mais vendido e traduzido da história e que marcou gerações?

Este é um livro que traz uma linda mensagem e grande aprendizado, uma profunda mudança de valores, que ensina como nos equivocamos na avaliação das coisas e das pessoas que nos rodeiam e como esses julgamentos nos levam a solidão. Nós nos entregamos a nossas preocupações diárias e esquecemos a criança que fomos. Esquecemos quem somos e nos tornamos incapazes de enxergar o que podemos ser.

Já falei algumas vezes aqui sobre olhar para dentro de si e deixar viver a criança que há em você. Pois "todas as pessoas grandes foram um dia criança. Mas poucas se lembram disso".

E você, do que se lembra?

O desafio de hoje é novamente um convite, para que leiam ou releiam e recordar que "só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos". Compartilhem com o #RN quais as sensações, emoções e lembranças que o livro vos provoca e de quebra, já aproveitem para falar quais as expectativas para o filme que estreia dentro de 3 dias, lembrando que esse será o assunto especial no decorrer da semana.

06 agosto 2015


Hoje começa uma nova coluna no blog, composta por 5 artigos onde nas próximas semanas você saberão tudo sobre o surgimento dos vídeo games. E para começar, que tal saber como tudo começou?
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

O surgimento da calculadora eletrônica em 11 de novembro de 1918 foi fundamental para tornar a criação do vídeo game possível. Num processo natural, as calculadoras eletrônicas evoluíram e se tornaram grandes e potentes computadores – grandes o suficiente para ocupar vários andares de um prédio e potentes a ponto de calcular raízes quadradas e solucionar algumas equações por minuto. Eram revolucionários! Nos anos 1950 começaram a invadir as principais universidades norte-americanas e foram nelas que eles passaram a ser usados para as coisas mais estranhas que se possa imaginar – inclusive para desenvolver e jogar vídeo games.

OXO, Noughts and Crosses – O Jogo da Velha

Somente em 1952 foi que surgiu o primeiro vídeo game, do jeito que deve ser – gráficos digitais exibidos em um monitor de tubo de raios catódicos. OXO, Noughts and Crosses foi desenvolvido por Alexander S. Douglas como parte da sua tese de doutorado “Interação Homem-Computador”. O jogo na realidade trata-se nada mais nada menos do que o famoso “Jogo da Velha”, só que jogado em um computador com um controle de telefone analógico (sabe-se lá como hehe).

O esquema é o mesmo desde sempre: posicione o “X” ou a “O” no lugar que você quer e feche uma linha com eles. Apesar da simplicidade e da aparente falta de emoção, o jogo chamava atenção justamente por representar muitíssimo bem a “Interação Homem-Computador”, coisa que pouca gente conhecia fora das universidades e recantos militares.

Apesar de brilhante, OXO não se popularizou porque só funcionava no computador em que foi desenvolvido – o EDSAC – e, pasmem, ele era o único no mundo! Mesmo não tendo ganhado nem um centavo com o jogo, A.S Douglas ganhou seu título de doutor e OXO foi, e é, considerado o primeiro vídeo game do mundo!

Curtiram? Se a resposta for positiva, não percam na próxima semana, nesse mesmo dia, nesse mesmo horário, nesse mesmo blog, a continuação da história dos vídeo games!

13 julho 2015



Hey, revolucionários!

O bom filho à casa torna, não é mesmo? E como vocês podem ver, completamente repaginado e remodelado, um novo Revolução Nerd está nascendo. Mas essa postagem não é para tratar da minha volta e tampouco das novidades que vem por aí, pois postagens Textos & Afins, de acordo com o cronograma, é só na sexta-feira, aguardem...

Bom, metade do ano já se passou, deixando para trás momentos, recordações e e lembranças, que sejam boas ou ruins, são experiências que têm muito a nos ensinar. Muitas pessoas passaram por minha vida, nem todas permaneceram, mas cada uma deixou um pedacinho de si. Cabe a mim escolher o que fazer com esses "pedaços".

O desafio de hoje é na verdade um convite a reflexão: Sempre no final de cada ano as energias são renovadas e a oportunidade de fazer um ano novo diferente nos enche de esperanças para viver os próximos 365 dias como os melhores da nossa vida. E hoje, com metade desse tempo passado, quantas realizações e conquistas você alcançou? Está satisfeito? É o suficiente ou quer mais? 

Independente de suas respostas, que tal viver um pouco diferente hoje? 

Somos acomodados por sempre acreditar que o melhor estar por vir, que o futuro será diferente e escolhemos esperar; nos tornamos espectadores de nossas próprias vidas ou em alguns casos, simples reféns da sorte. Diante disso, eu os desafio a não deixarem o amanhã para ser a melhor pessoa que você possa. Não deixe o depois para viver os melhores dias da sua vida, pois: 
Coisas boas acontecem para quem espera. 
As MELHORES coisas acontecem para quem levanta e faz.

26 maio 2015

"Você não precisa ir tão longe para encontrar aquilo que procura".

Quantas vezes você viu os seus sonhos desmoronarem e percebeu que tudo aquilo que havia planejado não poderá ser possível, pelo menos não da forma como imaginou, tendo que lutar contra um destino nada promissor e cheio de obstáculos? Esses são alguns dos dilemas vividos por Rosie e Alex, dois amigos de infância que vivem uma série de encontros e desencontros em busca de alcançar a tão almejada felicidade.

Uma história cheia de clichês, mas nem por isso deixa de ser emocionante e envolvente, muito pelo contrário, talvez sejam estes clichês que mais a aproximam da realidade, mesmo que de uma maneria bem superficial ao retratar os "dramas da vida". Alguns de nós podem sentir-se como a Rosie, tendo que anular os seus sonhos e sentimentos para proteger os sonhos do Alex, que na tentativa de fazer as escolhas certas, fez as escolhas mais erradas possíveis, até se dar conta que o que tanto procura estava e esteve sempre ali, diante dos seus olhos. 

"Sua amizade trouxe cor para a minha vida, isso até nos momentos mais sombrios, sou a pessoa mais sortuda do mundo, por esse presente, espero não tê-la desvalorizado, acho que talvez eu tenha, por que as vezes você não vê, que a melhor coisa que aconteceu à você esta aí, bem sob o seu nariz, mas isso também é bom, de verdade, porque eu percebi, que não importa onde você esteja, ou o que esta fazendo, ou com quem esteja, eu sempre, honesta e verdadeiramente, te amarei com todo o meu ser!"

Foi preciso que Alex e Rosie se desencontrassem várias vezes durante suas vidas, para que finalmente pudessem se encontrar; foi preciso a distância e a perda para reconhecer que mais do que a amizade, o amor sempre esteve diante de seus olhos, apenas esperando o momento certo de ser sentido,

O que eu senti ao assistir?
Uma explosão de sentimentos, uma vontade de rir, chorar e de amar ainda mais, porque me fez entender que por mais que tudo que eu sonhe ou planeje venha a dar errado, há sempre uma nova oportunidade para seguir e os erros acontecem para que os acertos possam valer a pena porque o amor SIMPLESMENTE ACONTECE.


18 maio 2015


Estava prestes a sair do abismo, mas sofri uma nova queda.

Normalmente, quando caímos, apesar da dor da queda, o melhor a se fazer é sacudir a poeira e levantar. Isso eu faço com frequência, mas já aconteceu tantas vezes que penso que talvez não esteja sabendo levantar. Então, dessa vez, eu optei por algo diferente, vou me manter no meu abismo, sozinho, até o momento que eu possa levantar e não mais sucumbir às quedas, porque eu já estou ferido demais para me dar ao luxo de ter novas feridas.
O pequeno polegar

15 abril 2015


Hey revolucionários! Quem me acompanha há algum tempo, já sabe que muitas vezes uso o blog como um espaço para desabafar e compartilhar meus aprendizados, sendo assim, hoje não será diferente. Aprendi que por mais sublime que seja o amor, não podemos nos anular como pessoa, não podemos ignorar nossas fraquezas, nossos medos, receios e sofrimento, não podemos sacrificar nossos sentimentos, porque são esses detalhes que nos fazem seres humanos. Mais que as nossas forças, são nossas fraquezas que depõe sobre nós, são o que nos torna capazes de superar e crescer. 

Quando se trata de felicidade, não existe nenhuma fórmula mágica, e também não é um bicho de sete cabeças. É preciso estar bem consigo mesmo para poder proporcionar o bem ao outro, assim só é possível fazer alguém feliz, se você sentir-se assim, em sua realidade, particularidade, no seu eu interior. Do contrário, se tornará um jogo de fingimentos e frustrações sem fim, enganando a si mesmo e sendo cúmplice da confusão do outro. 

Acredito, sim, que o amor implica a sacrifícios, mas só quando este é feito por livre entrega ou escolha, não como última saída ou alternativa. E isso requer tempo e preparo. Porque quando você for capaz de ser feliz sozinho, de se divertir sozinho, de viver e aproveitar o máximo a sua vida sem esperar por alguém, se dará conta de que não é sacrifício nenhum dedicar-se ao amor e felicidade de outro e só então você pode dar o próximo passo, o relacionamento. 

Hoje, eu aprendi que ao invés de preencher o vazio com pessoas, devo preencher comigo mesmo, porque eu sou a fonte do meu amor. E maior que a paixão e o desejo carnal, o amor é aquela força que permite que passe o tempo que for, perto ou distante, o desejo de fazer o bem se mantém, porque o amor não acaba, ele transcende o tempo. O desejo se perde, a paixão acaba e o que nos sobra? O vazio? A solidão?
Entre o certo e o duvidoso, eu ME escolhi. Entre partir ou ficar, eu escolhi amar.

06 abril 2015

01 abril 2015

Tradicionalmente, 1º de abril é considerado o Dia da Mentira, mas você sabe por quê?

São muitas as explicações para a popularização desse dia, em um das versões a brincadeira surgiu na França, no reinado de Carlos IX (1560-1574). Nessa época, o ano novo era comemorado dia 25 de março e as festividades só terminavam no dia 1 de abril. Quando em 1564, foi finalmente adotado o calendário gregoriano pela França, o ano novo passou a ser comemorado no dia 1 de janeiro. Porém alguns franceses resistiram a mudança e insistiam em comemorar na antiga data, assim zombadores passaram a ridicularizar o dia 1 de abril, enviando presentes esquisitos e convites para festas que não existiam. Com o tempo essa brincadeira foi se popularizando por todo o país, até migrar para outros países da Europa e resto do mundo.

Em uma outra versão, há quem acredite que a data foi inspirada na natureza, que costumava enganar as pessoas na virada de março para abril com mudanças climáticas repentinas. Ao serem feitas de bobas pelo tempo, as pessoas resolveram também adotar a brincadeira. Curiosamente, na Mitologia Nórdica, nessa data celebra-se também o dia de Loki, o deus das Mentiras e Travessuras. E você, já contou uma mentira hoje? Mas cuidado com o que vai dizer, no fundo, toda brincadeira tem um fundinho de verdade. Dicas de brincadeiras para zoar com os amigos no dia da mentira.

30 março 2015

A época mais doce do ano está chegando, é hora de colocar a mão no bolso e deliciar-se com os maravilhosos ovos/chocolates de Páscoa, seja para a satisfação pessoal ou presentear familiares, amigos ou aquela pessoa especial de que gosta. Eu amo ganhar chocolates, então meus caros leitores não hesitem, caso queiram presentear esse lindo blogueiro aqui, ok? Brincadeiras à parte, quem não gosta de ganhar chocolates, não é mesmo? Ainda mais com a diversidade de sabores e opções que temos hoje, sejam os ovos recheados ou mesmo aqueles personalizados com nossos personagens de filmes ou desenhos favorito, sempre com uma surpresa colecionável. Pensando nisso, o #RN preparou uma enquete para conhecer o perfil chocólatra dos leitores, então responda:


27 março 2015

Hey revolucionários! Não sei vocês, mas desde que foi noticiado que teríamos uma nova temporada de Digimon e como fiel continuação da 1ª temporada, eu não tenho conseguido conter a euforia e não vejo a hora do lançamento, afinal Digimon é nada menos que o meu anime favorito e um dos primeiros que assisti. Então, unindo o útil ao agradável, hoje eu trago para vocês, um teste bem simples (coisa de preguiçoso), HAHA:

24 março 2015

Hey, revolucionários! Vocês já perceberam que as minhas postagens refletem bem o meu estado de espírito, certo? Há momentos que me sinto tão indisposto e desanimado ao ponto de não querer mais postar e muitas vezes abrir mão do blog. Porém há também momentos que tenho surtos criativos, doses extras de ânimo e disposição, em que a inspiração toma conta de mim. E é assim que atualmente estou me sentindo. 

Há tempos não me sentia tão bem, tão feliz, tão VIVO.

Sabe,  a vida é mesmo uma caixinha de surpresas, por vezes boas e outras nem tão boas assim, mas que sempre nos traz bons aprendizados. Nos meus últimos textos, tenho frisado bastante sobre temas como felicidade e amor, sobre simplesmente senti-los sem esperar nada em troca, mesmo que não seja recíproco, mesmo que não haja um retorno direto, porque a recompensa surge por si mesma, sem pressão ou qualquer cobrança, porque do inesperado há sempre um novo motivo para sorrir.

Eu pareço falar com tanta segurança e simplicidade, mas confesso que não é bem assim, como eu digo logo abaixo do meu perfil, sou um semeador de incertezas, cheio de anseios e receios. Mas se serve de consolo, há uma frase de Stendhal que carrego comigo, uma frase que seja, talvez, um desígnio para nossas vidas:


E não importa quem seja, o que seja ou como seja, não há um manual ou uma forma correta, apenas ame, se ame, deixe-se ser amado, abra-se ao amor. O resto? Bem, o resto não existe. Não há porque pensar no que sobrou ou no que faltou. Até a próxima.

17 março 2015



Apesar de ter sido a obra cinematográfica nacional mais comentada do último ano, somente há duas semanas que assisti o filme "Hoje Eu Quero Voltar Sozinho". Antes tarde do que nunca, né? Mas me pergunto como pude passar todo esse tempo sem ter assistido essa maravilha. Um dos filmes mais simples e emocionantes que já vi e sem dúvidas está entre os meus favoritos.

O que mais me encanta no filme é a naturalidade com que os temas são abordados, pois como sabem, eu sou um amante das coisas simples e singelas e esta é a essência de "Hoje Eu Quero Voltar Sozinho". O filme narra a história de Leonardo (Leo), um adolescente cego que é alvo de preconceitos e brincadeiras maldosas por parte de alguns colegas da escola, e tem em sua melhor amiga Giovana, não somente um ombro amigo, mas um refúgio, seu porto seguro desde a infância. No entanto, a dupla inseparável passa a ser trio, com a chegada de Gabriel à escola. E como já era de se imaginar, o ciúme é incontornável, fazendo com que Giovana se sinta excluída.

Assim, apesar de novidade, a aproximação de Leonardo e Gabriel é natural, os dois passam a compartilhar experiências impensadas para alguém com deficiência visual, como ir ao cinema ou fugir durante a noite para "ver" um eclipse lunar. A partir de então, Leo se vê em meio aos conflitos da puberdade, o anseio em sentir-se livre, o primeiro beijo, a descoberta do amor, a busca de uma identidade.



Afastado de sua melhor amiga e confuso em relação aos sentimentos por Gabriel, Leo passa por uma experiência solitária, mas de amadurecimento. Até concluir com bastante delicadeza que está apaixonado pelo melhor amigo, um amor que não se vê, apenas sente. E esta é característica que faz do filme tão emocionante e que me arrancou muitas lágrimas, sorrisos e suspiros. Uma mostra de que não há barreiras para o amor, nem mesmo a cegueira, tampouco o gênero influenciou na descoberta desse sentimento que se a princípio abalou a amizade dos três, após ser revelado, apenas mais os uniu e solidificou!

Se chorei ou se sorri, o importante é que este filme, eu assisti.

16 março 2015


Descobri que sou um mendigo!

Nunca pedi esmola, mas pareço passar parte do meu tempo pedindo o amor e atenção daqueles que me rodeiam. Não que seja essa a minha intenção, mas peco pela minha ingenuidade, em querer sempre fazer o bem aos outros e achar que é recíproco; dedico o meu tempo a pessoas que sequer lembram da minha existência e quando conversamos, muitas vezes penso que as respostas me vêm por obrigação.

Não que eu espere algo em troca, afinal o amor, o carinho, a atenção devem ser espontâneos, mas pense bem: é frustrante quando há um esforço de sua parte, seja numa amizade, num relacionamento afetivo ou mesmo num romance em potencial, e não ser mútuo, certo? Acredito que seja um vício da infância, somos acostumados a amar e ser amados por nossos pais, mas crescemos e já não há uma obrigação de retorno. Eu tenho só que me acostumar e não mais me incomodar, vou continuar amando e dando atenção a quem eu gosto, seja recíproco ou não, há muito de mim para ser compartilhado. Agora não sou mais mendigo. 

Eu aprendi que os sentimentos não são méritos, devem apenas ser emanados, compartilhados e sentidos. Sinta você também, PERMITA-SE!

09 fevereiro 2015

Hey revolucionários! Há tempos não posto nenhum desafio e para compensar, o de hoje é de dar água na boca! Eu particularmente acho desafiador ter que escolher entre comidas, afinal gosto mesmo é de comer, ainda mais quando se trata de sobremesas. Mas não posso negar que o PUDIM conquistou não só meu paladar, como também o coração. Diz a lenda que essa delícia dos céus foi criada por um padre português e só foi revelada após sua morte, quando o seu caderno de receitas foi descoberto, mas foi aqui no Brasil que o tradicional doce feito à base de leite condensado e ovos se popularizou, virando um vício entre os doçólatras de plantão. Se o pudim fosse uma pessoa, eu casaria com ela!

02 fevereiro 2015

Hey revolucionários! Não há dúvidas de que a coluna Mitologia Grega é uma das mais populares aqui do blog, não é mesmo? Por isso, esse é o tema do teste de hoje, além de ser sugestão de alguém muito especial. 
Sem mais delongas, faça já o teste e descubra que deus você seria:


30 janeiro 2015

Ainda sonho com um amor verdadeiro, talvez eu seja muito ingênuo, mas acredito, sim, num amor que possa atravessar gerações, ainda espero o "felizes para sempre", não como num conto de fadas, mas quem sabe um "juntos até o envelhecer". E apesar de viver num sonho, não tenho medo de acordar, pois aprendi que posso sonhar novamente.
Sou apenas um desbravador de sonhos, semeando incertezas em busca do verdadeiro amor. Se o encontrei? Sei lá, só sei que o que sinto é amor.

28 janeiro 2015

Hey revolucionários! Anteriormente vimos que Cronos destronou o pai, Urano, e tornou-se o rei dos Titãs, sendo assim o senhor do universo. Mas antes de prosseguir essa história, vou lhes apresentar cada um dos 12 titãs e titânides (seis cada):

         Os seis titãs                                                  As seis titânides
Oceano: O mais velho, senhor das águas;  Teia: deusa da luz e da visão;
Céos: deus da inteligência;                              Reia: deusa da fertilidade;
Crios: personificação do frio;                          Têmis: deusa das leis divinas;
Hipérion: aquele que tudo vê;               Mnemosine: deusa da memória;
Jápeto: deus da mortalidade;                          Febe: deusa das profecias;
Cronos: deus do tempo.                                   Tétis: deusa das águas;

Durante o período em que os titãs governaram, a Terra viveu a chamada Era do Ouro. Tudo começa a ocorrer de forma tranquila e em paz. A partir daí, surge o tempo, representado por Cronos, e o dia e a noite (Hemera e Nix) passam a se alternar sobre Gaia, a Terra.

No entanto Cronos vivia angustiado, lembram-se que ele foi amaldiçoado pelo pai, Urano? De acordo com a maldição, Cronos também seria destronado pelos seus filhos. Com medo e receio, o rei dos titãs passa a desconfiar de todos e a trancafiar qualquer um que se oponha a ele no Tártaro. Começasse aí, um período de tirania.

Assim como os seus precursores, os titãs também casaram-se entre si, Cronos casou-se com Reia e logo tiveram seis filhos. Porém Cronos tinham medo de que seus filhos voltassem-se contra ele e os engole logo após o parto! Estranho, não? Reia sem saber o que fazer vai se consolar com Gaia, afinal ela também passou por isso (vocês lembram da história de Urano, né?).

Aconselhada por Gaia, Reia prepara um plano de vingança contra Cronos, pois toda essa tirania já estava passando dos limites. Assim que o seu sexto filho, Zeus, nasceu, Reia o escondeu na ilha de Creta, aos cuidados de duas ninfas, Adrasteia e Io. Elas cuidaram muito bem de Zeus, deixando-o grande e forte, para que muito em breve pudesse alavancar uma guerra que promete por um fim no Caos que se alastrava de volta à Gaia. Mas essa batalha só vamos ver na quarte parte, pois agora vamos voltar a Urano, ou melhor, ao céu.

Após ter sido atacado pelo próprio filho, Urano se refugiara ferido ao céu, porém seu sangue se espalhou pela Terra e fez nascer terríveis criaturas. Primeiro nasceram as erínias, que representam a vingança e o castigo a quem desrespeita os pais e o mais filhos (entenderam crianças?). Em seguida, surgiram os gigantes, repletos de fúria e sedentos por guerra. E para piorar ainda mais, surgem as melíades, ninfas repletas de maldade.

O nascimento desses seres causou ainda mais impacto na batalha que estava por vir, pois muitos destes voltaram-se contra Cronos e trouxeram de volta o Caos sobre a Terra. A única saída estava nas mãos da nova geração de deuses, conhecido com os deuses do Olimpo, mas isso é história para outra ocasião. 

Fiquem ligados, na próxima semana tem a continuação!

26 janeiro 2015

Hey revolucionários! Já pararam para pensar e fazer uma avaliação sobre a sua vida cotidiana, como você se relaciona com as pessoas ao seu redor? Sente-se seguro consigo mesmo e como reage diante de críticas ou elogios? Esse autoavaliação é conhecida como autoestima, ou seja, a visão que tem de si mesmo. Pessoas com autoestima elevada conseguem lidar melhor com desafios e se relacionar bem com outras. Já as em situação contrária, autoestima baixa, têm dificuldades em lidar com problemas e se sentem menos confiantes. E para que vocês possam avaliar melhor a autoestima, o #RN preparou um super teste, confiram:


23 janeiro 2015



Escolher o amor é um risco, uma incerteza, nem sempre será recíproco e muitas vezes não estamos preparados para aceitá-lo quando vem de um outro alguém. Há pessoas que passam dias, meses ou até mesmo anos, sendo responsáveis pelo amor que cativaram, porque acreditam na força desse sentimento, em busca de um "felizes para sempre", mas infelizmente, o pra sempre, sempre acaba. Temos que aceitar, faz parte do aprendizado de viver e é vivendo que aprendemos a lidar com as perdas. Perder não é uma escolha, na verdade uma consequência, afinal não somos responsáveis pela escolha do outro. E quanto ao sentimento? Ele não morre, mas um dia deixa de se fazer presente. É seguir em frente!

Victor Asckermann
--------------------------------------------------------------------------------------------
TALVEZ

Talvez tenha sido com você que eu aprendi a enxergar a beleza das coisas de uma maneira mais fácil.
Talvez tenha sido estranho, inesperado ou lindo demais para ser verdade.
Talvez você tenha me deixado mal acostumado com suas palavras de carinho, e que em algum lugar do passado ficaram, mas dentro de mim.
Talvez a vida não seja justa, incompreensível ou quem sabe simples demais para não percebermos que era aquilo só aquilo que queríamos.
Talvez você tenha sido um sonho pra mim, um riso, um abraço, uma palavra, um momento, um pensamento, uma sinceridade, um erro, um futuro ou sucintamente a felicidade.
Talvez tenha sido você que despertou uma coisa que eu não sabia descrever de início, mas que com o tempo quem sabe eu não compreendi?
Talvez eu não acreditasse que o amor existe.
Talvez você tenha errado, eu errei, nós erramos.
Talvez você tenha sido a coisa mais próxima que pode se chamar amor, ou talvez tenha sido...

Talvez seja só talvez.

 
© Revolução Nerd 2015. Design por Vitu